A recente pandemia que se alastrou pelo mundo é um dos momentos mais difíceis que a humanidade vem passando nos seus últimos anos. Incertezas e dificuldades são comuns em momentos assim, mas também há possibilidades de melhora.

No caso do comércio varejista, por exemplo, a pandemia de Covid-19, junto com o necessário isolamento social, têm provocado impactos imediatos nesse tipo de empreendimento, obrigando as pessoas a buscarem novas alternativas para continuarem com seu negócio.

Falaremos melhor sobre esse panorama a seguir.

Como está sendo o desempenho do comércio varejista nas últimas semanas?

Vários setores de diversos tipos de empreendimento vêm sofrendo algum tipo de impacto devido ao Covid-19. O ramo de cosméticos, por exemplo, que fazem parte dos chamados bens não-duráveis, foi um dos que menos teve queda no seu faturamento, de acordo com pesquisa feita pela Cielo, entre 01 de março e 09 de maio.

Pra se ter uma ideia, o setor de bens não-duráveis no varejo, ao qual os cosméticos fazem parte, teve queda de pouco mais de 1%, enquanto que no setor de bens duráveis, a queda foi de nada mais, nada menos que 44%.

De um modo geral, podemos assimilar muitas coisas a partir desses números, entre elas, a conclusão de que o setor varejista de produtos desse tipo está conseguindo evitar o pior, e que o público consumidor não está abandonando esses produtos.

A partir disso, vamos falar aqui um pouco sobre algumas ações que lojas do varejo podem fazer pra driblar um pouco mais nessa crise.

E-commerce: uma das soluções mais viáveis

Com a necessidade de fazer isolamento social, as lojas físicas não estão podendo abrir suas portas, o que não significa que devam deixar de vender. A loja, em si, fica fechada, mas, ela pode “migrar” para o terreno virtual, mais precisamente do e-commerce.

Por sinal, pra quem tem um estabelecimento físico, e monta uma loja na web, acaba sendo mais fácil do que abrir um e-commerce do nada. E, por um motivo bem simples: um local já estabelecido antes, fisicamente falando, já tem os produtos, e principalmente já tem os clientes. Basta achar um jeito de atraí-los.

Nesse caso, é preciso fazer algumas pesquisas, e se adaptar a esse novo formato (claro, partindo do princípio que você seja um iniciante no meio online). Caso já tenha um e-commerce que atuava em paralelo à sua loja física, melhor ainda.

Contudo, ainda assim, vale pesquisar, por exemplo, quais são os novos concorrentes, uma possível mudança nos valores dos produtos, e (claro) investir em planejamento com base em mídias sociais, além do relacionamento que é mais apropriado para ter com a audiência de internet.

Também é preciso que a loja virtual tenha uma identidade visual muito boa, além de ter uma descrição muito acessível dos produtos, bem como colocar imagens em alta definição. Vale também destacar que você pode contratar um sistema de gestão para controlar o estoque, além de ter um sistema integrado para fornecer formas de pagamento boas aos clientes.

Não se desespere e faça o seu melhor

Diante dessa crise, algumas decisões podem ser bem úteis para conseguir enfrentar essa pandemia no sentido de permanecer com o seu empreendimento. Até mesmo porque uma tendência atual, diante desse quadro, é que as pessoas façam compras mais “locais”, ou seja, em estabelecimentos menores e mais próximos.

Nesse ambiente, também é bom salientar que empresas ditas sustentáveis estão cada vez mais caindo no gosto do público, que está mais informado do que nunca. Portanto, negócios que tenham um impacto positivo na vida das pessoas têm mais chances de se destacar.

De resto, é cuidar de si, da família, dos amigos e dos colaboradores, e aguardar com sabedoria o fim dessa crise atual.


Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.